terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fazer o bem

Sinceramente, eu nem sei mais quantos anos ele tem. Careca, óculos "fundo de garrafa", fala embolada, às vezes dá trabalho entender. Perdeu muito peso, tem dificuldade pra andar, mas sentado, não perde a pose. Pernas cruzadas, dedos entrelaçados sobre o joelho. Tá toda hora chamando por alguém ou perguntando alguma coisa. Esqueçe o nome de quem cuida dele, mas lembra que a bisneta é carequinha igual a neta era. Ele tem um marcapasso, não enxerga direito e tem Alzeimer. Pra algumas pessoas, bem próximas por sinal, um fardo. "Levar pra passear? Pra que se ele num entende nada?". Quem foi que disse? Pra fazer o bem, não precisa muita coisa. Basta um pouco de boa vontade. Foram mais de 260 km de viagem. "Aqui é onde? João Pessoa é?! É pra'qui que Nete (minha mãe) vem direto? Ah, aqui é Paraíba. 'Zélia' e 'Germara' e a menina e Pedro, mora aqui né? É pra cá que Nete vem direto". Como não entende nada?! Passeio na calçadinha no fim de tarde,volta no shopping pra ver a decoração de natal, banho de mar. Ele reclamou o tempo todo, queria ir pra casa, mas fez algo que nunca tinha feito antes. E que provavelmente não vai poder fazer mais. Sim, meu avô tá bem velhinho, doente... mas está vivo!! Triste é se arrepender do que não fez... Esse arrependimento não vamos ter...

6 comentários:

Marina Magalhães disse...

Carinho ainda é o melhor bálsamo: pra quem foi, pra quem está no fim da estrada e quer continuar. E, mais ainda, pra quem fica...

Sônia Silvino disse...

Sempre é bom nos colocarmos no lugar dos outros, não é mesmo? Todos tem direito à atenção, carinho e respeito, independente da idade. Imagine só, na idade dele. Eu administro o blog "Sendo feliz na terceira idade" com textos da minha mãe que tem 76 anos e sofre de Parkinson há, mais ou menos, 7 anos. E ponho umas pitadas minhas para incrementá-lo. Nele, defendemos uma velhice digna. Há muito preconceito com os idosos, principalmente com idosos incapazes, ou quase, de viverem independentes. As pessoas esquecem que eles já foram jovens também, e que nós, a menos que morramos antes, também envelheceremos. Portanto, não devemos e não podemos deixar de protegê-los.
Bjkas!!!

Ivonete disse...

Amada, nao tenho vergonha de falar que acabei de ler chorando, pois ja sabes como estou me sentindo com tudo que fiz por ele.

pra terminar meu ano completo,falta so trazer a senhora Amélie.
Bjos!

Sabrina Zeinelle disse...

Feliz os que podem dizer eu te amo enquanto se pode... Fiquei muito feliz por saber que vocês realizaram um grande sonho, principalmente de Ivonte,um momento único que jamais será esquecido. Já diz uma bela musica (que não me recordo o compositor) "O amor foi feito para amar, perdão foi feito pra se dar... por tanto é melhor viver pensando ser a despedida olhando tudo ao seu redor como quem vai embora...poderá eu retroceder na historia regressar no tempo e reencontrar aqueles que partiram sem o meu abraço..." Nesse caso fico muito feliz pela felicidade de você!

Clébio Melo disse...

Lindo gesto! Ele com certeza não vai esquecer dele...

Edson Tavares disse...

Sinto minha mãe morrendo. Alzheimer está maltratando muito ela. Debilitada, só anda apoiada. A fala está se apagando. A memória está sumindo. Nem se lembra mais do nome da filha que cuida dela - mas de mim ela lembra nome, família, profissão, tudo.
Estive com ela ontem. Na sua fragilidade e meio-timidez, fez-me um carinho na nuca. Inédito.
Triste isso...