domingo, 13 de maio de 2007

Para ela.Para todas.



"Poema"
(Cazuza / Frejat)

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás


Esse Poema, que hoje ouvi na voz de Ney Matogrosso, é a minha homenagem a minha e a mãe de todo mundo. Mulheres formidáveis, cada uma à sua maneira, que são fonte de inspiração, força, carinho e admiração. Mais uma vez não pude estar juntinho da minha hoje. Cerca de 260 quilômetros nos separam, mas ainda bem que existe uma forma de estamos sempre bem perto uma da outra: no coração e em pensamento.

Diferente da música, eu não tive um pesadelo, mas demorei uma eternidade para conseguir dormir. DVD, livro, nada me ajudou a mergulhar no mundo de Morpheu. Pensei muito na minha mãe, em como eu queria estar com ela hoje para que ela não se sentisse tão só em um dia em que todos estão reunidos. Mas nem tudo pode ser do jeito que queremos! É a vida! No meu caso a distância faz com que percamos muitos momentos. Não me arrependo, mas bom seria se pudéssemos, de alguma forma, estar mais próximas em muitos outros momentos.

Por mais que procuremos, nunca vamos encontrar carinho igual ao que elas nos dão. Crianças ou adultos para elas não faz diferença. Seremos sempre indefesos para que elas possam prontamente cuidar de nós. Mas o tempo vai passando e elas é que vão se tornando crianças que precisam de todo o nosso carinho e cuidado.

Falando em mãe, essa semana eu ouvi que sou "uma mãe em potencial". Depois fiquei pensando nisso. Se eu for para os meus filhos metado do que minha mãe foi pra mim, eles serão pessoas boas. O que eu terei para ensinar foi tudo aprendido com ela.

Que Deus continue, a cada amanhecer, recarregando as baterias dessas mulheres para que elas continuem nos passando toda a energia, amor e ternura que só os braços e os lábios delas podem transmitir. Que elas saibam sempre o quanto são importantes para nós.

Para ela, para todas as mães...

3 comentários:

Trycia disse...

Que bom poder comentar no teu blog pela primeira vez e sobre um "tema" tão sublime como esse!
Quando somos crianças, adolescentes, sempre falamos que nunca vamos ser como nossa mãe, mas na prática, fazemos sempre o que ela fazia conosco... Acredito que é o que funciona de verdade...
Beijo,

Dezza

Aprendendo a viver disse...

Eita amiga... Entender tudo que andamos entendendo é muito rico... perceber a importância delas na nossa vida é único. Que Deus proteja essas mulheres, que cada ua de sua maneira são simplesmente show!! Será que eu vou ser mãe?? amiga, já estou me preparando pra o contrario... Mas, quem sabe... Acho que tentaria ser como a minha, pra não correr o risco de errar... risosss... Será que eu conseguiria... risosss... Bjos...

anita disse...

É isso aí Gil, sei como é sentir saudades da mãe e principalmente estando tão longe, mas sabemos q elas sempre estarão no nosso pensamento, e q mesmo mãe (como é o meu caso)e já ter crescido elas ñ dormem à noite sem fazer suas orações voltadas para as suas "crianças" pedindo q Deus nos ilumine e q nos dê vida longa. Amamos a nossa mamãe ou mainha e pedimos sempre a Deus e em especial neste dia das mães q Ele as amparem sempre e deixemos q elas sempre nos chame de minha criança, meu bebê, pois sentimos mt falta do carinho de mãe. Ficar distante da mãe doi mt. Dá um bj enorme na sua por mim qd vcs se encontrarem. Amei Para ela.Para todas, até pq me incluo no Para tdas. Bjão
Nita