domingo, 9 de dezembro de 2007

Vontade



Hoje me deu vontade de voltar pra casa.


Não "pra casa, pra casa" minha casa, espaço físico que deixei há seis anos


Deu vontande de voltar para coisas que remetem à minha casa, minha terra


Deu vontade de ir à feira, de comer farinha quentinha direto do saco


Vontade de tomar banho de chuva voltando pra casa sem a menor preocupação


Vontade de ficar no escuro da sala com um abajur ligado fazendo sombras com a minha irmã


Deu vontade de sentar no batente da calçada e ficar vendo o tempo passar e sentindo o frio da noite chegar


Vontade de ficar em casa vendo sessão da tarde e comendo leite ninho com açúcar.


Nunca mais eu comi leite ninho com açúcar... Nem fiquei na calçada...


O tempo vai passando e a gente vai arrumando outras coisas para fazer que também são muito agradáveis, mas nunca tem o mesmo sabor. Parecem fugazes de mais se comparadas às de antigamente... Será que antigamamente era, realmente, melhor???

4 comentários:

Poesia Sim disse...

Menina, volte já pra casa!

Poesia Sim disse...

Voltar pra casa... às vezes tenho a sensação que estou sempre voltando... bóra pra casa, Gil?
bj
Lau

Anônimo disse...

oi Gil,
brigadinho pela visita,
essa peça "Quebra Quilos",
vai ser um acontecimento
pro teatro aqui...

Qto ao q vc escreve sobre "casa" me lembrou muito o belo filme do Fernando Meireles "JArdineiro Fiel",se vc viu vai lembrar porque, se não viu veja e descobrirá. Abração
astier

edson disse...

Gilmara...
Como me faz bem ler o que você escreve e lembrar que, de alguma forma, pude colaborar na formação desse monumento literário em que você está rapidamente se transformando...
Seu texto,mais simples que seja, carrega um sentimento universal tão intenso que não se consegue ficar imune a ele.
A universalidade de sentimentos que você provoca aparece em emoções inexplicáveis, como a de me sentir saudoso de um "leite ninho com açúcar" que eu nunca experimentei.
Beijo e reverencio esses lindos olhos verdes...
EdsonTavares